domingo, maio 02, 2010

Diário de um susto - INTERNAMENTO

Oi gente, não postava há a algum tempo não é mesmo?Bom, o motivo disso tudo foi o pequeno susto que tomei na semana que passou. Como já contei antes, a minha médica é a Drª Alba Meire, uma obstetra simplesmente EXCELENTE e que recomendo a toda e qualquer grávida. Pois bem, estive na terça, 20, com ela, nunca consulta normal de pré-natal, contudo, a médica não gostou do que viu. Viu uma grávida inchada, com quase 3 kg acima do peso em comparação ao peso anterior e com uma pressão altissima, que ela nem mesmo quis dizer o valor, ou seja, um cheiro de perigo no ar, um cheiro de pré-eclâmpsia! Ela então não pestanejou! Disse, você vai ter que ficar internada para regularizar essa pressão! A Drª Alba tem um olhar interessante, fala mais que qualquer palavra. É um misto da visão profissional, de quase 30 anos de experiência, com o cuidado e o carinho de mãe. Ter a Drª Alba cuidando de mim, ou melhor, de nós neste período foi uma das maiores bênçãos que poderia acontecer em minha vida, uma coisa divina mesmo, uma sintonia que mais parece de uma vida pré-mortal. Nisso,devo muito a minha amiga Marina, que me deu essa maravilhosa indicação após o sofrimento que tive com a obstetra anterior que no 3º mês de gestação resolveu me dizer que não operaria por meu plano, salvo que assumíssemos um custo extra de no mínimo 3 mil reais! Enfim, com o perdão da palavra, uma mercenária. Mas isso é assunto para um outro post. Neste momento estou aqui escrevendo tantas coisas e nem ao menos sei se as postarei nesta ordem, para não ficar cansativo ao leitor, mas vou escrever que for vindo na cabeça, afinal, ainda estou aqui, no quarto 403, do hospital Santo Amaro... Tempo é o que mais tenho por hora.

Vamos voltar ao capítulo internamento. A médica ligou,imediatamente para o hospital, que estava lotado, e com um jeitinho especial conseguiu uma vaga pra mim.Estava com o meu pai, o qual ela explicou os motivos da necessidade de internamento, então saimos de lá umas 14h e viemos direto para cá.Ao longo do caminho fui recebendo forças, via telefone, de mainha e meu marido. Notava que ambos estavamo muito tensos, mas ainda assim, buscavam uma palavra de conforto para me dizer. E eu,pra variar, chorava. Ao chegarmos foi um pouco estressante pois o processo de internamento ainda é muito burocrático e consequentemene lento. Com o stress a flor da pele como estava, todo o tempo de espera era irritante. Esperamos duas horas e meia e só depois fui a consulta de pré-internamento, com um médico bastante calmo e atencioso,chamado Paulo Gomes, que conversou comigo, explicou o porque da demora e me examinou explicando direitinho sobre a necessidade do internamento para o controle da pressão. Após a consulta tive uma ótima surpresa. O nosso plano de saúde é o Sul América Empresarial - Enfermaria, que,dentre outros detalhes menores, não dá direito a acompanhante. O que é terrivel, por melhor que seja o tratamento do hospital, mas, como a enfermaria do hospital estava lotada, foi acomodada num apartamento super aconchegante,sem nenhum custo adicional,mas com o medindo de ser transferida assim que surgisse uma vaga na enfermaria. Nossa, teria o meu maridinho comigo! Tem benção maior que essa

Bem, era a hora de comerçamos a bateria de exames para controlar essa pressãozinha que aqui bateu a casa dos 16x10 alta para uma grávida. Fui medicada com Aldomet 250mg e neozine, um relaxante muito utilizado em grávidas em bastante eficaz no controle da ansiedade.Recebi a visita da enfermeira, que colheu algumas informações como peso, altura, religião(acho que pela questão da doação de sangue relativa aos TJ)dentre outras coisas. Fomos então para a parte que para toda mulher á espera de um bebê,em especial do primeiro,espera: a ultrassom obstétrica.Chegando no local, uma surpresa muito boa! Quem fez a ultrassom O Dr Manoel Sarno, que já está nos acompanhando desde a ultrassom do terceiro mês. Inclusive,tenho até um post aqui neste blog que fala só sobre ele. A melhor parte de tudo, o bebê está ótimo, sem nenhum sofrimento devido a minha hipertensão, todo lindão, pesando 1400g e medindo 35cm. Peso e altura normais para a idade gestacional, com os demais órgãos normais também e batimentos girando dentro dos padrões de normalidade. O nosso ARTHUR está perfeito. Por fim, o Dr Manoel me mostrou o rostinho dele, ai gente,que fofo! Claro que não tem como saber com quem ele se parece,pois isso só é possivel nas ultrassons 3 e 4D, as quais o plano não cobre e são muito caras. Eu tenho um sentimento que ele vai ser loirinho,pois tanto eu quanto o pai éramos assim quando nascemos. Ficaria feliz se ele tivesse os olhinhos verdes da mamãe,mas acho pouco provável, já que este gene é recessivo. Mas,vamos ver. Considerando que puxei ao olhos verdes do meu avô, vamos ver... O que importa é que já sabemos que o nosso filhote é perfeito. :) Isso é o primordial. Sei que queremos saber o meu sentimento: bom,sinto que ele será cara do papai. Já a minha mãe ou sente ou está na torcida que ele será a minha cara. É tão engraçado.Ela vive me mandando scraps no orkut com imagens de bebês os quais julga serem parecidos conosco. Vou postar algumas delas aqui para vocês virem.

Voltei então ao quarto, tomei um belo banho e coloquei as pernas pra cima, pois isso ajuda a desinchar,eu suponho... Depois recebi a visita da enfermeira, que veio fazer o exame cardiofetal. É feito com um equipamento igual o semelhante ao de eletrocardiograma, só que os sensores são colocados na barriga da mãe, nos locais onde se escute os batimentos do bebê. A medica que o sensor vai captando, a máquina vai imprimindo as ondas. Tem também um botãozinho,o qual eu teria que apertar a cada vez que Arthur mexesse. Uma delícia de exame. Afinal, tem coisa melhor para uma mae do que ficar 30min ouvindo o coraçãozinho do seu filhote e sentindo ele mexer Graças ao Pai Celestial, correu tudo bem com mais um exame, provando,mais uma vez que estou mesmo esperando um rei, que já é forte desde a barriga da mãe, um guerreiro, que não está nem ligando para a hipertensão de sua mae. Depois recebi a visita de uma auxiliar de enfermagem que veio coletar o meu sangue e urina para a realização de exames.

Durante este final de tarde e parte da noite,fiquei sozinha no apartamento, porque Ronaldo estava trabalhando. Ele chegou aqui com Hilton Neto e meu pái por volta das 21h, ele ficaria, só que Hilton Neto e meu pai tinham apenas 10min. Hilton chegou com aquela sua carinha irreverente,que eu amo tanto, olhando pra tudo e perguntando, você quer que eu tome injeção é Ao ouvir a minha negativa,minha tia,voce tomou injeção foi
Eles foram embora e deixaram saudades. O meu pai já viajaria no dia seguinte e Hilton Neto na quinta.Eu amo tanto o meu sobrinho e fico tão feliz quando ele está conosco... Mas, fazer o que né Ele tinha os pais que o esperavam, a escola que o esperava, enfim, a sua rotina. Ronaldo demonstrava estar nos céus.Impressão que logo foi confirmada em suas palavras me dizendo que aqui é o céu,que não queria mais voltar pra casa,isso pelo silêncio e pela temperatura mais amena dentro do apartamento.A esta altura eu já estava conformada com a minha situação de interna até porque a causa era muito mais do que nobre. O que me incomodava um pouco era a fome. Está com o almoço(que foi pouco) e um pacotinho de amendoins doces, os quais fui inspirada a comer ainda na recepção do hospital, se não, provavelmente estaria com uma cratera no estômago.Ainda assim, ficar sem comer era algo que estava me incomodando muito e para completar, recebi aquela ligaçãozinha da nutricionista para saber o que eu gostava de comer e a mesma informou que a princípio eu ficaria a dieta zero. Gente, que fome em senti! Por volta das 22h a enfermeira esteve no quarto para saber se estava tudo bem e então aproveitei e disse que estava com muita fome. Veio então a boa notícia, os resultados dos exames ja haviam saido e a minha dieta seria liberada. O que aconteceu por volta das 22:30. Nunca pensei que ficaria tão feliz em ver tão pouca comida! Afinal, comida de hospital é regradinha,balançeada, com os nutrientes e na quantidade que precisamos mas que os nossos maus hábitos não nos permitem aceitar. No cardápio tinha: mamão, suco, nescau,sopinha,iogurte, pão, queijo,biscoito, manteiga,geleia... Hum,mesmo pouquinho,fiquei satisfeita. Era hora de dormir.E foi o que fizemos.Periodicamente vinha alguém no quarto para ver como estava a pressão,mas para uma grávida estava controlada nos seus 14x8 com poucas variações para mais ou para menos.

Tivemos uma noite boa,exceto pelo calor,com um sistema de ar-condicionado Central que não estava funcionando a todo vapor e para uma pessoa que já sente muitoooooooooooo calor fora da gravidez,imagine na gravidez... Ai,ai... O resultado é que acordei comigo e com a cama molhadas de súor. Mas tudo isso é apenas detalhe... :) Recebi então a visita do Dr Daniel,médico plantonista que me informou que os exames deram normais,exceto por um pricipio de infecção urinária. Eu teria então que fazer uma cultura de urina e pegar o resultado em uma semana. Ele mediu a minha pressão e estava totalmente diposto a me dar alta,mas eu avisei que a Drª Alba viria me ver,então liguei pra ela e ela disse para aguardá-la.Ronaldo também conversou com ela e foi aquele maior papo, perguntou até se ele já havia tomado café,que o café da manhã daqui do hospital era gostoso,coisa e tal e se ele deixasse,era papo que não acabava mais.Só que o importante nesni disso tudo é que a danadinha estava disposta a não me dar alta,mas no fundo eu já sentia isso pois a idéia inicial dela era me deixar internada por uns quatro dias.Ela chegou por volta do meio dia, viu como eu estava e conversou seriamente conosco sobre os perigos da pressão alta,que a mesma não se regulariza de um dia para o outro e que eu confiasse nela,pois ela conhecia bem a grávida com o meu perfil,que eu precisava ficar aqui pelo menos até sábado para prestar atenção no que é certo comer,coisa e tal.Enfim,nada de alta. E sabe o que é enraçado,Ronaldo amou. Disse que quer morar aqui. É mole.






Um comentário:

marinasqueiroz disse...

Engraçado que este seu episódio me faz pensar que tudo que fazemos tem q ser com muito amor. Nunca pensei q uma indicação médica pudesse causar tanta felicidade. Alba foi, para mim, uma excelente profissional, e ainda bem que está sendo pra vc tb! E olha que tive uma gravidez tranquila, mas acompanhei em consultorio o sofrimento de muitas gestantes, sem contar as vezes q fui a consulta e ela saia para uma emrgencia! Quantas pessoas não entendiam isso!Fico muito feliz em saber que estou fazendo parte ativa na vida de Arthur e que "na posteridade" , ele saberá de mim. :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...