segunda-feira, fevereiro 07, 2011

Mãe em tempo integral?

Juntinhos ( a resolução ficou ruim,mas é uma das mais recentes)

A Kira fez um desabafo em seu blog que me emocionou muito e me fez refletir sobre o que realmente importa para nós! Que sentimento ela conseguiu passar no post! Nossa! Fiquei muito pensativa sobre a situação em que me encontro agora e penso como a Kira: se podemos esperar, por que voltar logo depositando nossos bebês em creches ou em mãos de pessoas que jamais cuidarão deles como agente. Um outro ponto: e o futuro? As memórias que ficarão? 

Eu tenho excelentes memórias: uma mãe que deixou de trabalhar (fez uma longa pausa) até os seus três filhos ficarem mais crescidinhos. Uma mãe que deixou um emprego formal para trabalhar como sacoleira! Sim! Sem nenhuma vergonha para dar o melhor para os seus filhos. Uma mãe que ergueu o marido quando este ficou desempregado por quase 7 anos! Sim, a MINHA mãe, o meu exemplo.Agora vivo um dilema, sim, um grande dilema! Mas, no momento não tenho muito o que fazer,apenas fazer o que precisa ser feito.

Depois de 7 meses com o meu filho, volto a trabalhar amanhã (sou funcionária pública). Tive 6 meses de licença gestante + um mês de férias,mas acabou... Ainda tentei a licença prêmio (3 meses) que tenho direito para ficar mais tempo com o Arthur mas devido a crise que a Prefeitura de Salvador atravessa (leia-se corrupção) o Secretário de Educação vetou todas as licenças gestante, uma arbitrariedade sem tamanho, um absurdo que me fez mover uma ação - mandado de segurança e estou aguardando o resultado. 

Postei aqui recentemente sobre a importância, ao menos pra mim, de retormar as minhas atividades para que me sentisse mais saudável (mentalmente) mas a medida em que foi se aproximando o dia do retorno, vi que saudável mesmo é estar ao lado do meu filhote, tendo alguém que me ajude, sim AJUDE e não faça as coisas por mim, substituindo o meu papel. Vi isso por que conseguir uma ajudante maravilhosa, que fica comigo e com o Arthur meio período. Assim fico menos cansada, menos estressada e posso curtir muito mais o meu filhote e o meu maridão, enfim. Amo o meu filho, amo o meu marido e sou muito feliz pela oportunidade grandiosa que o Pai Celestial me concedeu - SER MÃE!

Kira, obrigada por tanta sinceridade e tanta força nas palavras! Você me ajudou a enxergar o que sempre esteve a minha frente! O desejo de ser mãe em tempo integral! De fato! E de trabalhar em casa. Estou até tendo algumas idéias ai para isso. Quem sabe?

Para finalizar e já que o post tem tudo a ver, lembro a vocês da causa defendida pela Pritt em que me envolvi e que agora sou com orgulho embaixadora: Seja Criativo e ajude a construir pessoas! E isso começa, claro, com a nossa família! Clique AQUI e seja também uma defensora da causa.

10 comentários:

Cláudia Leite disse...

Oi Má,

Fui lá na Kika ler o post dela...
Pra vc é complicado deixar seu trabalho, por ser um cargo público neh? Estou numa empresa privada e não pretendo voltar, acho que nesse caso não vale à pena.

bjo.

Patricia Charleaux disse...

Amiga sei bem o que vc sente, eu também sou funcionária pública , qdo mais jovem eu jurava deixar o trabalho assim que tivesse um filho, mas as coisas não são assim, depois de ter o João tive 6 meses de licença e ainda tirei 1 mês de licença saúde, emendei com as férias e voltei qdo ele estava com 9 meses, foi horrível e é até hoje, amanhã volto ao trabalho e me sinto uma sem rumo, mas sei que ele precisará do dinheiro para um bom futuro, ele hoje está na escolinha, pois passei um perrengue com babás, mas tenho certeza de que com vc será diferente já que tem uma boa pessoa pra te ajudar.Dá um aperto no coração ,mas qdo vc estiver perto dele faça destes momentos ,momentos especiais e ele vai sim sempre te amar e lembrar de vc como uma mãezona, o que importa não é a quantidade do tempo com ele e sim a qualidade, vejo mães que ficam em casa, sem trabalhar, com seus filhos e nem dá atenção a eles.Boa sorte ,bjs

RENATA disse...

Oi Mariza!

Eu estou como vc, sou funcionária pública e tb consegui 7 meses com meu bebê, volto só no mês que vem.
Eu não posso dar ao luxo de deixar o trabalho, além do mais meu salário é muito bom e é muito difícil passar em concurso aqui em SP. Estou sofrendo muito, mas penso como a Patrícia, vou aproveitar muito os momentos em que estiver com ele...
Eu só estou voltando mais tranquila, pq ia deixar em uma escolinha mas minha mãe resolveu largar o emprego para cuidar dele. Senão, tb não sei o que faria...
Boa sorte na decisão que tomar!!!!
Beijinhosssss

Kira! disse...

Nossa, que honra! Sabe, minha mãe era funcionária publica, porém da área da saúde. Apesar de não ter passado muito tempo comigo e com meu irmão, ela sabia que ia nos deixar sabe? Ela não tinha a saúde muito boa, e a gente não sabia! Quando ela faleceu, deixou eu com 11 anos, meu irmão com 18 e meu pai aposentado por invalidez. Porém, tivemos ajuda da prefeitura durante 7 anos, com pensão e convênio médico. Lógico que preferia milhões de vezes ter ela aqui sabe... mas eu só estou dizendo isso, porque as vezes o cargo publico proporciona melhores condições, uma segurança maior. Eu pretendo prestar concurso, por essa segurança, depois dos 2 anos da Beatriz.
O mundo não vai fugir da gente, em 2 anos, da para segurar a barra $$ de tantas formas!

Enfim...

Você teve orgulho da sua mãe mesmo ela sendo sacoleira, você sabe do esforço que ela fez por você, e é isso que importa. E é isso que seu filho vai ter de você, orgulho, mesmo vc deixando essa segurança de lado por um tempo, e trabalhando em casa, nem que seja vendendo avon, entende?


Beijão

Kel disse...

Oi amiga...

Nossa deve ser bem complicado mesmo pra mamãe que trabalha fora chegar o dia da volta ao trabalho.
Mas realmente se agente pode ficar em casa cuidando dos nossos filhotes pq não?????
Tenho certeza de que vc nunca vai se arrepender da sua ecolha e vai ter boas lembranças desse tempo que nunca mais voltará e que passa muito rápido.

bjs doces

O mundo da Dani disse...

amigaaaaaa adorei o post, e sinto tudo isso tb, mas ainda nao voltei a trabalhar e to como a tua mãe, procurando outros meios para ganhar dinheiro sem ter q deixar meu filho.... affffffffff nao é facil mesmo amiga

bjusssssss

Melissa disse...

Oi Mari,

Essa fase é terrível, né? Eu tive que encará-la quando a minha pequena só tinha 1 mês e meio, e até hoje, todo dia quando vou trabalhar dói um pouquinho! Mas infelizmente, ser mãe em tempo integral hoje em dia é privilégio para poucas.
Adorei sua visita lá no blog e o seu recadinho. Se puder tenta de novo pq será uma honra te ter como seguidora!
Beijos
Melissa
www.ideiasdevo.blogspot.com

Ju Vilela disse...

Mari, também sou embaixadora Pritt e passei 3 anos em casa quando meu filhote nasceu, sem ninguém para ajudar e não foi algo que me fez bem, comecei a trabalhar fora, mas hoje estou em casa e apesar dos pontos negativos em ter home office, estou muito feliz! Aproveito para convidar para continuar a conversa no grupo que temos no Facebook, o Mães (e pais) com fihos
ttp://on.fb.me/eNvDPS

Sam (@samegui) disse...

Puxa Mariza, eu até indiquei seu post no Twitter porque o tema está em alta lá na nossa comunidade Mães (e pais) com filhos http://on.fb.me/eNvDPS.
Incrível como o tema é importante e pertinente no nosso cotidiano! Eu tb parei para cuidar dos meus dois filhos - um ano 100% parada, mais uns 5 trabalhando em freelas que não afetavam a rotina com eles - e só voltei ao trabalho em tempo integral quando eles estavam ingressando no Ensino Fundamental, que foi uma medida que eu me dei para começar a desafogar as crianças da minha atenção excessiva!
Espero que você tope ir até o grupo para conversar e colocar sua posição por lá. ;)

Aline Silva Dexheimer disse...

É isso aí. Parabéns.
Aqui onde eu falo:http://www.alinedexheimer.com/m%c3%a3e-que-trabalha-fora-e-dentro-de-casa-.aspx
Também sou embaixadora da PRITT.
Beijos,Aline

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...